segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Você conhece o pirossomo?

Está fazendo um sucesso estrondoso no Youtube o vídeo postado por um centro de pesquisa em biologia marinha da Tasmânia mostrando um animal gigante, ao lado de alguns mergulhadores. Já foram mais de 3,3 milhões de visualizações! Mas que animal é esse?!

Pyrostremma spinosum, um pirossomo da Tasmânia. (Fonte: Eaglehawk Dive Centre.)
Pyrostremma spinosum, um pirossomo da Tasmânia. (Fonte: Eaglehawk Dive Centre.)

Na verdade, não se trata de um animal propriamente dito, mas de uma colônia que pode conter até centenas, ou milhares, de pequenos animais do grupo dos Tunicados, fisicamente ligados entre si.

Tunicados são animais marinhos, em geral sésseis, que pertencem ao filo dos cordados, já que apresentam uma notocorda durante sua fase larval. Como a notocorda está restrita à cauda da larva, os tunicados são também denominados urocordados, já que uro é cauda, em grego.

Alguns belos exemplos de tunicados sésseis, pertencentes à espécie Clavelina moluccensis. (Fonte: Wikimedia.)
Alguns belos exemplos de tunicados sésseis, pertencentes à espécie Clavelina moluccensis. (Fonte: Wikimedia.)

Os tunicados são animais filtradores capazes de gerar um fluxo de água através de seus corpos, para que possam dela extrair os pequenos organismos de que se alimentam. Para tal, apresentam um tubo para a entrada de água – o sifão inalante – que leva diretamente à faringe, dotada de fendas branquiais (uma característica marcante de todos os cordados). Ao passar pelas fendas, as partículas alimentares ficam retidas, seguindo para o restante do sistema digestório. A água, por outro lado, cai numa cavidade que se liga ao exterior através de um outro tubo – o sifão exalante –, por onde é eliminada.

Colônias de pirossomos podem ser bem pequenas, com poucos indivíduos e apenas alguns centímetros de comprimento. Já aquelas como as da imagem do início deste post crescem bastante, podendo atingir 30m de comprimento.

A colônia é tubular, com uma extremidade fechada e outra aberta e, como o fluxo da água é coordenado entre os diversos organismos, forma-se uma corrente que impulsiona o pirossomo, permitindo que ele vague próximo à superfície em águas quentes e calmas. Há, porém, registro desses animais em grandes profundidades.

Aproveite e veja o vídeo!

http://www.youtube.com/watch?v=5EQGA_4BZ5s