quinta-feira, 4 de julho de 2013

O anão e suas cinco companheiras

No último dia 2 de julho de 2013, a União Astronômica Internacional divulgou a aprovação dos nomes das duas luas de Plutão recentemente descobertas: Kérberos (2011) e Estige (2012). O planeta-anão possui, até agora, cinco satélites conhecidos:

  1. Caronte
  2. Estige
  3. Nixe
  4. Kérberos
  5. Hidra
O planeta-anão e suas cinco luas. (Fonte: UAI, disponível em http://www.iau.org/public_press/news/detail/iau1303/.)
O planeta-anão e suas cinco luas. (Fonte: UAI,
disponível em http://www.iau.org/public_press/news/detail/iau1303/.)

Plutão apresenta uma órbita com raio médio de 5,87 × 109km (cerca de 39,3UA) e é um pequeno corpo formado por rocha e gelo. Tem uma massa de aproximadamente 1,3 × 1022kg (0,218% da massa da Terra), com raio de 1 161km (18% do raio da Terra). Foi descoberto em 1930 e inicialmente considerado um planeta, tendo sua classificação alterada para planeta-anão, em 2006. Seu caminho ao redor do Sol leva 247,68 anos, o que significa que, desde sua descoberta, ainda não completou uma volta ao redor da estrela.

UA = unidade astronômica Equivale à distância média entre a Terra e o Sol, cerca de 150 milhões de quilômetros.

Que tal entender os nomes do anão e suas companheiras?

Plutão, de Henri Chapu. (Fonte: Wikimedia.)
Plutão, de Henri Chapu.
(Fonte: Wikimedia.)

 

Plutão

Plutão é o deus do submundo, Hades, na mitologia grega, algo como o mundo dos mortos.

Segundo a tradição clássica grega, o mundo teria sido dividido em três grandes regiões, cada uma delas governada por um deus. Assim, haveria a terra, governada por Zeus, o oceano, de responsabilidade de Poseidon, e o submundo, as profundezas, sob a responsabilidade de Plutão.

Caronte

Caronte, pintura de Alexander Litovchenko. (Fonte: Wikimedia.)
Caronte, pintura de Alexander
Litovchenko. (Fonte: Wikimedia.)

O barqueiro do submundo, que navega os rios Estige e Aqueronte, fronteira entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos, transportando os espíritos dos mortos. Em diversas culturas do passado era comum a colocação de uma moeda sobre a boca (ou no interior dela) do cadáver para o pagamento dos serviços de Caronte. Acreditava-se que os mortos sem posses, que não podiam pagar pelo transporte, ficavam vagando pelas margens dos rios por cem anos.

Nixe, de William-Adolphe Bouguereau. (Fonte: Wikimedia.)
Nixe, de William-Adolphe
Bouguereau. (Fonte: Wikimedia.)

 

Estige

Como já referido anteriormente, Estige, na mitologia grega, é um dos rios que fazem a fronteira entre os mundos dos vivos e dos mortos. É por onde navega Caronte.

Kérberos. (Fonte: Wikimedia.)
Kérberos.
(Fonte: Wikimedia.)

 

Nixe

A deusa da noite, mãe de Caronte. Esta figura mitológica está associada a diversas entidades ligadas à escuridão. É mãe também de Hypnos, o deus do sono, e de Thánatos, o deus da morte.

Kérberos

Um cão com várias cabeças, guardião dos portões do submundo. Sua função é impedir o retorno de qualquer ser que tenha atravessado o rio Estige.

Hidra de Lerna e Hércules. (Fonte: Wikimedia.)
Hidra de Lerna e Hércules.
(Fonte: Wikimedia.)

 

Hidra

Hidra de Lerna, a besta aquática com muitas cabeças, guardiã da entrada para o submundo. Foi morta por Hércules durante a realização de suas 12 tarefas.

É interessante como os nomes associados ao sistema de Plutão e suas luas estão todos associados ao submundo mitológico. Mais interessante ainda é a ordem dos nomes. Observe, de fora para dentro: Hidra, a guardiã da entrada do submundo (está no lado de fora); Kérberos, o guardião que impede a saída (está no lado de dentro); Nixe, a mãe do barqueiro; Estige, o rio que deve ser atravessado; Caronte, o barqueiro; Plutão, o deus da região.